Category: Prédios de Curitiba

Porque Prédios?

O Livro “Prédios de Curitiba” é parte de um projeto cultural idealizado para ampliar a consciência histórica e cultural acerca dos edifícios da capital paranaense, os quais levaram a verticalização da cidade. Muitos dos prédios que compõem a paisagem curitibana, tem uma rica história, seja em termos arquitetônicos ou valores simbólicos, os quais geralmente passam despercebidos na correria do cotidiano.

Porque Curitiba?

Curitiba é uma cidade com edifícios marcantes em várias esferas. Há prédios públicos assinados por ganhadores de concursos de toda parte do país. Há edifícios que primam pelo corbusianismo. Há edifícios que desafiaram os moldes convencionais, como o primeiro edifício redondo da América Latina, há prédios com casas em seu topo e há outros que desafiam a engenharia, como o famoso edifício que gira os andares de forma independente. Há representantes de várias gerações, estilos e vertentes.

Patrimônio

O primeiro passo para a preservação do patrimônio histórico de uma cidade começa por conhecê-lo.

“Quem respeita, preserva, quem preserva, cuida!”

O Livro

O livro é uma iniciativa do estúdio de arquitetura LONA arquitetos, idealizado pelo arquiteto Guilherme de Macedo e viabilizada via lei de incentivo municipal da Fundação Cultural de Curitiba, com incentivo da Caixa Econômica Federal. O livro tem a participação de três autores, do arquiteto Guilherme de Macedo, sócio proprietário do estúdio de arquitetura LONA Arquitetos, o arquiteto Fábio Domingos Batista, sócio proprietário do escritório de arquitetura Grifo Arquitetura e Washington Takeuchi, fotógrafo e idealizador do blog Circulando por Curitiba. O livro se apresenta a partir de três partes, uma primeira revela quarenta prédios, selecionados dentro de um recorte de 100 anos de verticalização curitibana. A segunda parte mostra a trajetória histórica da verticalização do município e o terceiro trecho inspira um novo olhar, um passeio por Curitiba. O lançamento do livro foi realizado no dia 29 de agosto de 2017 em evento no Sesc Paço da Liberdade, com abertura de exposição que revela o processo de produção da pesquisa.

Foto por Rafael Pto

Onde encontrar?

O livro, com 260 páginas e 300 imagens, está à venda tanto na Livraria do SESC Paço do Liberdade, quanto via loja virtual, com entrega para todo o Brasil, neste link aqui<. Um livro ideal para curiosos, para famintos por conhecimento, assim como para apaixonados por histórias, não apenas por Curitiba, mas pela cidade em si, pela sua história, pelo seu jeito.

Foto por Rafael Pto

Foto por Rafael Pto

Ficha Técnica

Editora: LONA Arquitetos
Ano de publicação: 2017
Cidade e País de publicação: Curitiba, Brasil
Número de Páginas: 260
ISBN: 978-85-94128-00-3
Dimensões: 23,5×23,5 cm
Tipo da Capa: capa dura
Textos: Guilherme de Macedo, Fábio Domingos Batista e Washington Takeuchi
Fotos: Washington Takeuchi
Fotos adicionais: Alexandre Chien, César Noda, Eduardo Sinegaglia e Matheus Araújo
Revisão: Neiva Lanzarini Zuchi e Fabiane Lima Ferreira
Projeto gráfico e diagramação: Guilherme de Macedo e Breno Burrego
Tratamento de imagem: Diogo Takeuchi

Foto por Rafael Pto

Foi uma corrida árdua. Para nós, que estávamos terminando o livro e organizando-se para que o produto chegasse da gráfica fiel as nossas expectativas, pensar em um evento de lançamento em conjunto com a montagem da exposição foi um processo novo para nós.

Com o evento se aproximando e os livros em mão, começamos parte das divulgações. Tanto nas redes sociais, como o Facebook, o Instagram e até jornais da região. Já estávamos acertados com o pessoal do Paço da Liberdade em questão de espaço e setorização de circulação. O buffet já estava com horário e menu pronto para chegar. A sala estava a nossa espera.

O dia chegou. Carregamos o material da exposição desde a manhãzinha e iniciamos a montagem. Aramados para um lado, fotos para o outro. Vitrines abertas, quadros pendurados. Um lembrete rápido nas redes de que o evento estava próximo. O sol estava a pino e ainda faltava muito.

Corremos com as instalações, penduramos e ajeitamos as fotos. Organizamos as vitrines, penduramos o banner, ajeitamos as mesas do lado de fora e quando pouco antes da abertura de portas, olhamos o trabalho finalizado, suspiramos, felizes por estar tudo certo e no seu lugar. Exaustos, fomos nos aprontar para o evento em si.

Esperávamos poucos convidados. Nossa meta era de 50 a 80 convidados. Lançamentos de livro ou de exposição em espaços mais comedidos costumam não atrair muita gente. Ao subir as escadas de madeira do eclético prédio que já abrigou a prefeitura, o burburinho era alto, de várias pessoas alocadas no corredor do primeiro andar, falando de vários assuntos, reencontrando amigos ou colegas, comentando do que ainda não estava a vista. O local estava cheio!

Abrimos a exposição e alocamos uma mesa para o pessoal folhear e adquirir o livro. Com o horário da abertura mais próximo o local começou a ficar quase intransitável. O buffet estava se ajeitando e não conseguíamos parar de cumprimentar amigos e colegas que vieram prestigiar esse trabalho de anos de pesquisa e organização. Com o horário estourando e a Sala de Atos lotada, com parte do pessoal até mesmo de pé, demos início a palestra, curta, de apresentação do projeto que conseguiu tornar realidade o livro Prédios de Curitiba.